24 de mar de 2010

Pequenos detalhes fazem a diferença



Será que realmente prestamos atenção em tudo?
Será que tudo que temos, damos o vosso respectivo valor?
Às vezes uma coisa tão simples é tão valorizada por uns, mas aos olhos de outros parecem tão insignificante!
Esses não dão valor a nada, não procura conhecer a essência das coisas e o real sentimento do que as coisas por mais simples que seja pode nos transformar.

Certa vez um jovem louco por aventura, um tanto responsável, mas ao mesmo tempo imaturo e um tanto prepotente, se achava muito seguro de si e de suas decisões, sem se dar contar que a vida é cheia de deslizes, surpresas e armadilhas, resolve dar uma festa entre amigos um dia antes de embarcar em  uma aventura um tanto perigosa: Acampar sozinho por dois dias. Queria ele se auto-superar, enfrentando o medo, achando que assim criaria mais coragem e responsabilidade.
Dada a festa, entre amigos e colegas, noite muito animadas, seus amigos resolvem naquela noite o presentear com objetos que seria utilizado no acampamento.
Seu melhor amigo aquele que estava sempre ao seu lado em todos os momentos, deu-lhe uma lanterna de melhor qualidade importada, muito linda.
Outro amigo também muito importante deu-lhe invés de sinalizadores alguns fogos de artificios e ainda brincou:

-Aí meu Brother se você precisar de mim quando se perder é só me chamar!

Muitos presentes ele ganho naquela noite, todos relacionados a kits e objetos para acampar, em meio a tantos embrulhos e presentes havia um pacote pequeno uma caixinha, mas tão pequeno que para ele tornou-se insignificante e sem valor, o jovem o subestimou, não o abriu, deixando-o de lado, ele estava mais interessados em outras coisas maiores e de valores significativo
Na manhã seguinte o jovem rapaz arrumou suas coisas e saiu rumo a sua aventura. Chegando ao seu destino segue uma trilha até encontrar um bom lugar para acampar, já exausto decide descansar sendo que, já tinha escolhido um bom lugar decide por desfazer a mochila e montar sua barraca. Perto de anoitecer ele decide arrumar alguns galhos e madeiras para fazer uma fogueira e sai a procurar mesmo sabendo que por perto havia um posto da guarda florestal ele decide levar a mochila com lanternas e os fogos de artificios caso venha se perder.
A noite chega, uma tempestade se forma, começa a chover. O jovem rapaz entra em desespero, pois saiu da trilha e se perdeu decide ir ao posto pedir ajuda, mas não sabia por aonde ir, continua a caminhar e quanto o ia se afastava pra longe.
Em meio o breu somente com clarão dos raios, ele pega a lanterna que seu melhor amigo tinha lhe dado, o desespero toma conta:

-Droga! Droga, não funciona, está sem pilha! –Grita ele.

A lanterna sem pilhas de nada serviria então se lembrou dos fogos de artificios que tinha ganhado, mas acenderia como se não havia fósforo?Ele chorava desesperadamente, percebeu que era um simples mortal alí impotente e que na vida não se trilha sozinho, nem se estaciona achando que pode ser melhor do que já é, que o mais simples das coisas poderia ser o melhores para sua vida, até mesmo umas pilhas e uma caixinha de fósforo.
Passaram-se três dias até ser encontrado. De volta pra casa, cansado, triste e frustrado entra em seu quarto, em cima do criado mudo ele ver a caixinha que ele ignorou no dia da festa junto ao embrulho um cartão dizendo assim:

-“Parece insignificante, sem importância, da mesma forma como você vê nossa amizade, mas acredite, esse é o melhor que eu poderia te dar. Boa viaje, espero que com essa viajem você aprenda o verdadeiro sentido da vida. Saiba também que a felicidade pode estar em uma caixinha como está! A vida é uma caixinha de surpresa"

O jovem rapaz com lagrimas nos olhos abriu o pequeno embrulho e lá estavam algumas pilhas e uma caixa de fósforo.


Por mais simples que as coisas pareçam, não as despreze, pois um dia você pode precisar delas.
Nem sempre o que você acha que pode ser o melhor vai ser o melhor pra você, pois sempre faltará uma peça fundamental para fazer funcionar, peças essas que na maioria das vezes subestimamos, ignoramos e não damos o vosso respectivos valores
Lembre-se que para ter amigos por perto é preciso sinalizar, mas antes é preciso acender o fogo da amizade verdadeira dentro de si!
Pequenos detalhes fazem uma grande diferença

Postar um comentário

24 de mar de 2010

Pequenos detalhes fazem a diferença



Será que realmente prestamos atenção em tudo?
Será que tudo que temos, damos o vosso respectivo valor?
Às vezes uma coisa tão simples é tão valorizada por uns, mas aos olhos de outros parecem tão insignificante!
Esses não dão valor a nada, não procura conhecer a essência das coisas e o real sentimento do que as coisas por mais simples que seja pode nos transformar.

Certa vez um jovem louco por aventura, um tanto responsável, mas ao mesmo tempo imaturo e um tanto prepotente, se achava muito seguro de si e de suas decisões, sem se dar contar que a vida é cheia de deslizes, surpresas e armadilhas, resolve dar uma festa entre amigos um dia antes de embarcar em  uma aventura um tanto perigosa: Acampar sozinho por dois dias. Queria ele se auto-superar, enfrentando o medo, achando que assim criaria mais coragem e responsabilidade.
Dada a festa, entre amigos e colegas, noite muito animadas, seus amigos resolvem naquela noite o presentear com objetos que seria utilizado no acampamento.
Seu melhor amigo aquele que estava sempre ao seu lado em todos os momentos, deu-lhe uma lanterna de melhor qualidade importada, muito linda.
Outro amigo também muito importante deu-lhe invés de sinalizadores alguns fogos de artificios e ainda brincou:

-Aí meu Brother se você precisar de mim quando se perder é só me chamar!

Muitos presentes ele ganho naquela noite, todos relacionados a kits e objetos para acampar, em meio a tantos embrulhos e presentes havia um pacote pequeno uma caixinha, mas tão pequeno que para ele tornou-se insignificante e sem valor, o jovem o subestimou, não o abriu, deixando-o de lado, ele estava mais interessados em outras coisas maiores e de valores significativo
Na manhã seguinte o jovem rapaz arrumou suas coisas e saiu rumo a sua aventura. Chegando ao seu destino segue uma trilha até encontrar um bom lugar para acampar, já exausto decide descansar sendo que, já tinha escolhido um bom lugar decide por desfazer a mochila e montar sua barraca. Perto de anoitecer ele decide arrumar alguns galhos e madeiras para fazer uma fogueira e sai a procurar mesmo sabendo que por perto havia um posto da guarda florestal ele decide levar a mochila com lanternas e os fogos de artificios caso venha se perder.
A noite chega, uma tempestade se forma, começa a chover. O jovem rapaz entra em desespero, pois saiu da trilha e se perdeu decide ir ao posto pedir ajuda, mas não sabia por aonde ir, continua a caminhar e quanto o ia se afastava pra longe.
Em meio o breu somente com clarão dos raios, ele pega a lanterna que seu melhor amigo tinha lhe dado, o desespero toma conta:

-Droga! Droga, não funciona, está sem pilha! –Grita ele.

A lanterna sem pilhas de nada serviria então se lembrou dos fogos de artificios que tinha ganhado, mas acenderia como se não havia fósforo?Ele chorava desesperadamente, percebeu que era um simples mortal alí impotente e que na vida não se trilha sozinho, nem se estaciona achando que pode ser melhor do que já é, que o mais simples das coisas poderia ser o melhores para sua vida, até mesmo umas pilhas e uma caixinha de fósforo.
Passaram-se três dias até ser encontrado. De volta pra casa, cansado, triste e frustrado entra em seu quarto, em cima do criado mudo ele ver a caixinha que ele ignorou no dia da festa junto ao embrulho um cartão dizendo assim:

-“Parece insignificante, sem importância, da mesma forma como você vê nossa amizade, mas acredite, esse é o melhor que eu poderia te dar. Boa viaje, espero que com essa viajem você aprenda o verdadeiro sentido da vida. Saiba também que a felicidade pode estar em uma caixinha como está! A vida é uma caixinha de surpresa"

O jovem rapaz com lagrimas nos olhos abriu o pequeno embrulho e lá estavam algumas pilhas e uma caixa de fósforo.


Por mais simples que as coisas pareçam, não as despreze, pois um dia você pode precisar delas.
Nem sempre o que você acha que pode ser o melhor vai ser o melhor pra você, pois sempre faltará uma peça fundamental para fazer funcionar, peças essas que na maioria das vezes subestimamos, ignoramos e não damos o vosso respectivos valores
Lembre-se que para ter amigos por perto é preciso sinalizar, mas antes é preciso acender o fogo da amizade verdadeira dentro de si!
Pequenos detalhes fazem uma grande diferença

Postar um comentário