13 de set de 2012

Amor que eu nunca tive...



Não quero um amor que me complete, eu já sou completo por natureza pelo o amor que sinto por mim, pela vida, por Deus, minha família... Não sou um jogo de quebra-cabeça que falta uma peça... Não Quero um amor que me preencha, pois estou cheia de amor para dar... Não quero um amor que dependa de mim, nem eu dele, amor incompleto... Quero um amor que seja autossuficiente para que não sufoque... Quero um amor que mesmo em dias nublados, frios torne-se radiante com sua luz... Quero um amor que não seja expresso em palavras... Quero um amor através do sorriso, do olhar, do sentir ao tocar... Aquela coisa de pele ou uma simples sensação de transmissão de pensamento como se esse amor fosse coisa da alma. Não quero um amor fantasiado, decorado, ensaiado... Isso é sonho... Quero um amor real e verdadeiro... Não quero um amor para curar feridas, nem para esquecer dores do passado... O amor não é remédio, nem muletas, nem ataduras, nem anestésico... O que cura é o tempo, a vida... Quero um amor que desperte o melhor de mim, que me faça lembrar o quanto foi bom ter amado, e hoje amar e ser amada... Quero um amor que compartilha que tenha cumplicidade que caminhe junto, porém que seja um amor livre daqueles que vão, mas deixam saudades de amar novamente...

 
Postar um comentário

13 de set de 2012

Amor que eu nunca tive...



Não quero um amor que me complete, eu já sou completo por natureza pelo o amor que sinto por mim, pela vida, por Deus, minha família... Não sou um jogo de quebra-cabeça que falta uma peça... Não Quero um amor que me preencha, pois estou cheia de amor para dar... Não quero um amor que dependa de mim, nem eu dele, amor incompleto... Quero um amor que seja autossuficiente para que não sufoque... Quero um amor que mesmo em dias nublados, frios torne-se radiante com sua luz... Quero um amor que não seja expresso em palavras... Quero um amor através do sorriso, do olhar, do sentir ao tocar... Aquela coisa de pele ou uma simples sensação de transmissão de pensamento como se esse amor fosse coisa da alma. Não quero um amor fantasiado, decorado, ensaiado... Isso é sonho... Quero um amor real e verdadeiro... Não quero um amor para curar feridas, nem para esquecer dores do passado... O amor não é remédio, nem muletas, nem ataduras, nem anestésico... O que cura é o tempo, a vida... Quero um amor que desperte o melhor de mim, que me faça lembrar o quanto foi bom ter amado, e hoje amar e ser amada... Quero um amor que compartilha que tenha cumplicidade que caminhe junto, porém que seja um amor livre daqueles que vão, mas deixam saudades de amar novamente...

 
Postar um comentário