31 de mar de 2010

Ilusões Desnudas


Entre muitos presentes que já ganhei um dos meus preferidos foi o livro de poesia “Ilusões desnudas” do poeta escritor Ronaldo Torres conhecido pelos amigos como Tom. Também colaborador deste blog foi dele que eu tive a honra de receber seu livro autografado.
Vale à pena conferir, suas poesias nos enchem nos alegra, pois em tudo há sempre algo revelador que nos toca profundamente traduzindo o que sentimos no momento.
Luiz Eudes Cruz de Andrade, cronista e também contista, colaborador do livro “Arraial Do Junco” também de autoria de Ronaldo Torres, em suas sabias palavras ele diz:

“Esta obra é a leitura perfeita para um final de tarde, deitado numa rede, ouvindo os cantos dos passarinhos e o balançar dos galhos das árvores ao sabor da brisa leve.”

Realmente! Deixo aqui uma das poesias que eu adoro!


Quimeras

Eu vi minha dor rasgar o vazio da noite
Em frêmitos frenéticos do pejo silente
E meu grito murmurar no infinito noturno
Ecos repetidos duma paixão efervescente.

Eu vi teu corpo nu abraçar a minha dor
E afogar em afagos o meu pranto dorido.
Vi tuas mãos deslizarem em suaves contornos
Pela aspereza flácida do âmago sofrido.

Eu vi meus olhos cegos enxergarem a luz
Que flamejam teus olhos como farpas doiradas
E ofusca os fantasmas remanescentes da sombra
Em lusque-fusque quão aurora prateada.

Eu vi meu braço soturno procurar no leito
Frio a carícia de teu corpo candente...
Vi meu corpo tísico se aninhar no teu peito
E pulsar a vida em desejos ardentes.

Eu vi a luz da manhã romper as trevas
E a revoada de meus pensamentos em chamas;
Vi o ardor de meus delírios quiméricos
Ao soluçar baixinho, sozinho na cama.

(Ronaldo Torres - do livro Ilusões Desnudas)

Obrigado Tom suas poesias hoje acalentaram meu coração!
Abraços!
Postar um comentário

31 de mar de 2010

Ilusões Desnudas


Entre muitos presentes que já ganhei um dos meus preferidos foi o livro de poesia “Ilusões desnudas” do poeta escritor Ronaldo Torres conhecido pelos amigos como Tom. Também colaborador deste blog foi dele que eu tive a honra de receber seu livro autografado.
Vale à pena conferir, suas poesias nos enchem nos alegra, pois em tudo há sempre algo revelador que nos toca profundamente traduzindo o que sentimos no momento.
Luiz Eudes Cruz de Andrade, cronista e também contista, colaborador do livro “Arraial Do Junco” também de autoria de Ronaldo Torres, em suas sabias palavras ele diz:

“Esta obra é a leitura perfeita para um final de tarde, deitado numa rede, ouvindo os cantos dos passarinhos e o balançar dos galhos das árvores ao sabor da brisa leve.”

Realmente! Deixo aqui uma das poesias que eu adoro!


Quimeras

Eu vi minha dor rasgar o vazio da noite
Em frêmitos frenéticos do pejo silente
E meu grito murmurar no infinito noturno
Ecos repetidos duma paixão efervescente.

Eu vi teu corpo nu abraçar a minha dor
E afogar em afagos o meu pranto dorido.
Vi tuas mãos deslizarem em suaves contornos
Pela aspereza flácida do âmago sofrido.

Eu vi meus olhos cegos enxergarem a luz
Que flamejam teus olhos como farpas doiradas
E ofusca os fantasmas remanescentes da sombra
Em lusque-fusque quão aurora prateada.

Eu vi meu braço soturno procurar no leito
Frio a carícia de teu corpo candente...
Vi meu corpo tísico se aninhar no teu peito
E pulsar a vida em desejos ardentes.

Eu vi a luz da manhã romper as trevas
E a revoada de meus pensamentos em chamas;
Vi o ardor de meus delírios quiméricos
Ao soluçar baixinho, sozinho na cama.

(Ronaldo Torres - do livro Ilusões Desnudas)

Obrigado Tom suas poesias hoje acalentaram meu coração!
Abraços!
Postar um comentário